Com foco em podcasts, Spotify compra empresa de publicidade e tecnologia

Tecnologia da Megaphone, empresa adquirada pela gigante sueca, deve facilitar a inserção de publicidade direcionada nos podcasts da plataforma.



O Spotify anunciou mais uma aquisição nesta terça-feira, 10. A gigante de streaming de áudio está mergulhada no mercado de podcasts e confirmou acordo para aquisição da Megaphone, uma empresa que desenvolve tecnologia para inserção publicitária direcionada em podcasts, permitindo melhor divulgação de marcas em programas de áudio.


O acordo é um negócio de 235 milhões de dólares, segundo porta-vozes do Spotify.


A Megaphone oferece um tipo de tecnologia para empresas que publicam podcasts terem espaços de anúncio publicitário em meio à programação. Entre os clientes estão gigantes como ESPN e o jornal The Wall Street Journal. Esse tipo de tecnologia permite analisar dados de usuários e direcionar publicidade mais em linha com os interesses de um ouvinte específico.


Seria uma mudança publicitária para transformar o podcast num negócio mais próximo do Facebook ou Google do que de uma rádio tradicional, por exemplo.


Com o acordo, o Spotify terá a prerrogativa de oferecer a anunciantes maior escala e escolha em termos de quem querem alcançar pelos podcasts na plataforma, além também de permitir que criadores de conteúdo possam monetizar mais facilmente suas produções.


No terceiro trimestre do ano, o Spotify afirmou que 22% dos usuários mensais de seu serviço se engajam com podcasts e que o faturamento publicitário do segmento dobrou em relação ao mesmo período do ano passado. Há mais de 1,9 milhões de títulos disponíveis no streaming da empresa.


O Spotify tem investido pesado em aquisições para seu negócio de podcasts. A empresa tem diversas parcerias com produtores de conteúdo, como o apresentador Joe Rogan, que tem um dos podcasts mais ouvidos do mundo e concordou em divulgar com exclusividade na plataforma. De acordo com a imprensa norte-americana, a concessão dessa exclusividade é um acordo de cerca de 100 milhões de dólares. O Spotify também tem outras celebridades em seu portfólio, como Kim Kardashian e Michelle Obama.


No Brasil, a empresa já fechou acordos para produzir podcasts exclusivos durante a Copa do Mundo, em 2018, e a Copa do Mundo feminina, em 2019, ou com podcasts de veículos jornalísticos, como a Folha de S.Paulo.


A empresa também investiu na compra de outras empresas para ampliar sua presença no mercado, como a Gimlet Media, uma produtora de podcasts, e a Ringer, uma rede de podcasts de esportes e entretenimento.


O Spotify também passou a dar mais prioridade aos podcasts em seu aplicativo, lançando seções temáticas como já faz com as músicas. A seção “Podcasts para você” também passou a trazer podcasts recomendados para cada ouvinte com base no algoritmo da empresa, que já recomenda músicas específicas baseado no histórico recente de cada usuário.


Fonte: Exame

4 visualizações0 comentário