Fundadores da fintech Kaspi se tornam bilionários depois de IPO em Londres

A Bolsa de Valores de Londres foi a escolhida pelos fundadores da Kaspi para negociar os papéis de seu IPO



Os fundadores da fintech Kaspi do Cazaquistão se tornaram bilionários após um IPO de sucesso na Bolsa de Valores de Londres. O cofundador Vyacheslav Kim vale pouco mais de US$ 2,5 bilhões, enquanto o CEO e cofundador Mikhail Lomtadze possui uma fatia avaliada em pouco mais de US$ 2 bilhões. As ações da empresa começaram a ser negociadas na última quinta-feira (15) a um preço inicial de US$ 33,75 e fecharam na terça-feira (20) a US$ 41,80.


A Kaspi afirma ser a maior empresa de pagamentos e fintech do Cazaquistão, com mais de sete milhões de usuários mensais de uma população estimada em 18 milhões. Seu abrangente “Super App” para pagamentos, empréstimos e operações bancárias tem, afirma, desempenhado uma “parte cada vez mais integrante da vida diária das pessoas no Cazaquistão” à medida que a pandemia da Covid-19 acelerou “a adoção de pagamentos eletrônicos, comércio eletrônico e finanças digitais pelos consumidores”, segundo um comunicado da empresa antes do IPO.


A Kaspi obteve US$ 515 milhões em receita líquida e US$ 1,3 bilhão em receita bruta em 2019, de acordo com seu prospecto. E a empresa parece ter prosperado durante a pandemia, obtendo US$ 286 milhões em lucros sobre pouco mais de US$ 740 milhões em receita no primeiro semestre de 2020, de acordo com o mesmo prospecto. O IPO foi “a maior listagem de Londres por uma empresa do Cazaquistão desde 2007 e é o maior IPO focado em tecnologia internacional em Londres neste ano”, disse Ayuna Nechaeva, chefe da Europa na Bolsa de Valores de Londres.


Semelhante à Revolut, empresa de fintech do Reino Unido (liderada pelo bilionário Nik Storonsky), a Kaspi permite transações de pagamento digital, transações comerciais, finanças e depósitos ao consumidor, incluindo um produto “compre agora, pague depois”, semelhante ao oferecido pelo PayPal e pelo Klarna. Em 2019, a startup afirmou deter a maior participação de mercado de empréstimos ao consumidor no Cazaquistão, chegando a 32% do mercado total.


Para pagamentos no Cazaquistão, a Kaspi agora está abocanhando fatias da Visa e da MasterCard. Em junho deste ano, as transações processadas pelo Kaspi.kz representaram 66% do volume total de pagamentos processados ​​no país, de acordo com os resultados publicados online.


A empresa começou em 2011 como uma solução de pagamentos de contas e carteira eletrônica antes de abrir sua plataforma de mercado para comerciantes e oferta de financiamento ao consumidor online em 2014. Em 2017, a empresa adicionou um aplicativo móvel, além de transferências de pessoa para pessoa por cartão ou por número de telefone.


Embora várias fintechs líderes tenham perdido usuários e receita durante a pandemia, a Kaspi foi se fortalecendo à medida que as pessoas adotavam rapidamente uma solução de tecnologia para um problema humano fora de seu controle.

Em junho, a plataforma de notícias online do Cazaquistão “Kazpravda.kz” relatou que o CEO da Kaspi, Lomtadze, havia recebido a medalha de “Gratidão do Povo” pelo presidente do Cazaquistão por seu “trabalho abnegado” durante a pandemia.


Lomtadze disse que a equipe da Kaspi “trabalhava dia e noite” para que novos clientes pudessem abrir contas e “receber pagamentos sociais muito necessários durante o estado de emergência”. Ele disse que 4,4 milhões de pessoas receberam pagamentos online por meio do aplicativo móvel da empresa, de um total de 7 milhões de pagamentos fornecidos pelo estado durante a pandemia.


Um porta-voz da Kaspi confirmou a participação acionária de cada um dos cofundadores, mas ainda não fez comentários sobre o status de bilionário dos fundadores da empresa.


Fonte: Forbes

2 visualizações0 comentário