Gestora Pátria pode ser avaliada em US$ 1,6 bi em IPO


Gestora de ativos tem uma oferta pública inicial na Nasdaq



A gestora de ativos Pátria Investimentos, na qual a Blackstone Group tem uma participação de 40%, deve ser avaliada entre US$ 1 bilhão e US$ 1,6 bilhão em uma oferta pública inicial de ações na Nasdaq, estimam analistas do Banco BTG Pactual. A oferta é coordenada pelo JP Morgan, Bank of America e Credit Suisse.


O Pátria, que administra US$ 13 bilhões em fundos de private equity, imóveis, crédito e infraestrutura, entre outros, entrou com um pedido de IPO na Securities and Exchange Commission (SEC) em 30 de dezembro. O banco registrou receitas de US$ 83,3 milhões e lucro líquido de US$ 45,5 milhões nos primeiros nove meses de 2020.


O documento não divulga o tamanho da pretendida oferta, data para o início das negociações dos papéis ou potenciais vendedores, mas o Pátria disse que planeja levantar os recursos para investir em seus próprios fundos e expandir operações por meio da compra de gestoras, carteiras e canais de distribuição.


O BTG disse que a avaliação de até US$ 1,6 bilhão não inclui os recursos levantados na oferta e é baseada apenas nos pares do Pátria, como Blackstone e Carlyle Group. “Vemos muito espaço para o crescimento dos investimentos no Brasil e, com mais dinheiro indo para assets independentes (ex-bancos) como o Pátria, há fortes ventos favoráveis ​​para o crescimento de investimentos alternativos”, afirmou o banco.


O movimento do Pátria ocorre em um momento em que os gestores de ativos brasileiros estão atraindo bilhões de investidores que buscam retornos mais elevados em um ambiente de juros da economia na mínima recorde de 2%.


Na segunda-feira, a Vinci Partners, outra gestora de ativos brasileira, também entrou com pedido de IPO na Nasdaq. (com Reuters)


Fonte: Forbes

5 visualizações0 comentário