IPO da Miniso transforma varejista chinês em bilionário

Ye Guofu, CEO e fundador da Miniso, atualmente tem um patrimônio líquido de US$ 3,9 bilhões, estima a Forbes



A abertura de capital da varejista Miniso na Bolsa de Nova York transformou seu fundador em bilionário. A riqueza de Ye Guofu vem da rede de lojas de produtos domésticos, cosméticos e alimentos sediada em Guangzhou, na China. A Miniso vende produtos baratos, como rímel a US$ 1,50 e fones de ouvido a US$ 6.


Apoiada pela gigante chinesa de tecnologia Tencent, a Miniso começou a ser negociada na Bolsa de Valores de Nova York na quinta-feira (15). A empresa levantou US$ 608 milhões com a venda de 30,4 milhões de American Depositary Shares (ADSs) a um preço de US$ 20 por ação, acima da faixa anteriormente indicada de US$ 16,5 a US$ 18,50.


Ye, que terá 65% da Miniso após o IPO, atualmente tem um patrimônio líquido de US$ 3,9 bilhões, estima a Forbes.

A empresa planeja usar os recursos para abrir mais lojas e expandir sua rede. A pandemia do novo coronavírus forçou o fechamento de algumas unidades na primeira metade do ano e também contribuiu para uma queda de 4,4% nas vendas, com receita de US$ 1,3 bilhão no ano fiscal de 2020 encerrado em junho. Mas Ye está confiante de que a Miniso logo voltará a crescer, pois, segundo ele, seus produtos proporcionam uma experiência de compra única. “Não há um concorrente no mercado atualmente”, disse o bilionário em entrevista à Forbes. “Contanto que não cometamos grandes erros, teremos um espaço de crescimento muito promissor.”


Os analistas concordam. Jason Yu, diretor-gerente da consultoria Kantar Worldpanel, em Xangai, diz que os consumidores cuja renda está sendo afetada pela pandemia intensificarão a busca por mercadorias com bom custo-benefício, como os fornecidos pela Miniso.


A empresa vende uma diversidade de produtos, como cosméticos, utensílios e pequenos eletrodomésticos projetados internamente ou com propriedade intelectual licenciada por empresas como a Disney. Sem contar com revendedores e apenas comprando diretamente dos fabricantes, a Miniso economiza 95% em custos nos produtos oferecidos a menos de US$ 7,1 na China, segundo divulgado em seu prospecto.


A companhia possui 4.200 lojas em todo o mundo, incluindo 1.680 em mercados internacionais. A empresa ainda não dá lucros, mas as perdas diminuíram para US$ 37 milhões no ano fiscal de 2020, queda de 12% em relação ao ano anterior.




A Miniso não é a primeira aventura de Ye. Segundo relatos da mídia chinesa, o empresário trabalhou em uma fábrica de aço chinesa antes de criar a marca. Uma viagem ao Japão em 2013 fez o fundador ficar impressionado com lojas como a Muji, que oferece produtos variados como roupa, artigos de viagem, eletrodomésticos, papelaria, móveis, e o inspirou a criar a Miniso.


Fonte: Forbes


5 visualizações0 comentário