Lucro das empresas de capital aberto cresce R$ 150 bilhões no 1º tri

Levantamento feito pela consultoria Economatica para a EXAME Invest considerou os cerca de 270 resultados já divulgados; no mesmo período de 2020, amostra teve prejuízo

Fonte: Exame

Vale: mineradora teve o maior lucro para um 1º trimestre da história das empresas brasileiras (REUTERS)

Um ano após o início da pandemia, as empresas brasileiras apresentaram forte recuperação em diferentes linhas de negócio. Isso é o que revela o levantamento feito pela consultoria Economática, a pedido da EXAME Invest, com base em cerca de 270 balanços já divulgados relativos ao primeiro trimestre.

O lucro líquido das companhias de capital aberto do país cresceu em 153,160 bilhões de reais no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de 62,912 bilhões de reais do mesmo período do ano passado. Desta vez, o saldo ficou positivo em 90,247 bilhões de reais.

A recuperação se deu principalmente puxado pelo resultado da Petrobras (PETR3, PETR4). No primeiro trimestre do ano passado, a petrolífera havia apresentado perdas de 48,523 bilhões de reais, como resultado de provisões contra os efeitos da pandemia. O cenário que se concretizou, no entanto, foi melhor do que o esperado e, no primeiro trimestre, a companhia teve lucro de 1,167 bilhão de reais.

O resultado foi suficiente para a Petrobras voltar para a lista das 20 empresas mais lucrativas do país, mas ficou bem distante da líder Vale (VALE3). No trimestre, a mineradora teve lucro de 30,564 bilhões de reais. “Esse é o maior lucro para o primeiro trimestre de uma empresa de capital aberto da história”, destaca Einar Rivero, diretor da Economatica.

Entre as cinco empresas mais lucrativas também esteve a CSN (CSNA3), com lucro de 5,240 bilhões de reais. Assim como a Vale, seu bom desempenho no trimestre foi impulsionado pelos preços elevados do minério de ferro e do aço. Caso fosse somado com o lucro de 2,363 bilhões de reais da CSN Mineração (CMIN3), sua divisão de mineração que abriu o capital no início do ano, o resultado chegaria a 7,6 bilhões de reais.

Depois do setor de mineração, o que teve o maior lucro no trimestre foi o de energia elétrica, que apresentou ganhos de 11,716 bilhões de reais, 80% a mais do que no do mesmo período do ano passado.

Já em volume de vendas, foi o setor de alimentos e bebidas que teve o melhor desempenho, com receita líquida operacional de 134,887 bilhões de reais, resultado 30,9% superior ao do primeiro trimestre de 2020.

Prejuízos: comércio e transporte

Por outro lado, o setor de comércio teve o maior número de empresas entre as 20 com os maiores prejuízos do trimestre. Foram cinco ao todo: B2W (BTOW3), Lojas Americanas (LAME4), Natura (NTCO3), Renner (LREN3) e C&A (CEAB3).

A frente de negócios nos ramos de transportes e serviços ficou logo atrás, com quatro dos 20 maiores prejuízos. Seus representantes foram : Azul (AZUL4), GOL (GOLL4), Hidrovias do Brasil (HBSA3) e CVC (CVCB3).

A empresa com o maior prejuízo no trimestre, no entanto, foi a Oi (OIBR3), com perdas de 3,504 bilhões de reais. Ainda assim, a companhia, que está em recuperação judicial, conseguiu reduzir seu prejuízo em 2,776 bilhões de reais em relação ao resultado do primeiro trimestre de 2020.


Fonte: Exame

1 visualização0 comentário