De olho no setor de telemedicina, Afya compra iClinic por R$ 182,7 milhões

O objetivo do grupo mineiro é ampliar a área de atuação para além das faculdades de medicina e cursos de educação continuada



A Afya Educação anunciou nesta terça-feira, 13, a aquisição da iClinic, empresa de software voltada para telemedicina, sistemas de gestão da área médica e marcação de consultas online por 182,7 milhões de reais.


De acordo com comunicado, 61,5% foram pagos em dinheiro e o restante em ações da Afya, listadas na bolsa americana Nasdaq.

“Com a aquisição da iClinic, a Afya dá mais um passo para se tornar uma plataforma única para os médicos no Brasil. Agora, além dos cursos de educação médica e de saúde e um aplicativo de decisões clínicas, entramos em um novo segmento que pode ajudar os médicos a administrar suas clínicas e atender melhor seus pacientes ”, diz Virgílio Gibbon, presidente da Afya, em nota.


Há algum tempo, a Afya vem trabalhando para ampliar sua atuação para além das faculdades de medicina e cursos de educação na área da saúde. A empresa mineira tem apostado em ativos ligados à tecnologia para se aproximar dos médicos.


O portfólio da iClinic inclui os negócios de prontuário eletrônico; sistema de gestão clínica, com um software que permite aos médicos agendar pacientes online, organizar registros financeiros e usar ferramentas de mercado para divulgar suas clínicas; telemedicina e um marketplace que conecta médicos e pacientes para agendamento de consultas.

“Fundamos a iClinic para capacitar os médicos com tecnologia em suas atividades gerenciais para que possam melhorar a experiência do paciente e fornecer cuidados de saúde de alta qualidade”, diz Felipe Lourenço, presidente da iClinic.


As aquisições da Afya devem reforçar o modelo de negócio da companhia, que visa ser uma espécie de “loja de tudo” em educação médica e serviços para o setor de saúde.

As unidades da companhia ficam em Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Pará, Rodônia, Paraná, Piauí, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Recentemente, o grupo também venceu um edital do programa Mais Médicos, com possibilidade de abrir unidades em sete cidades com carência de médicos.


Além de cursos de graduação, a Afya tem uma área de educação continuada, com cursos de especialização e preparatórios para residência médica, através da plataforma Medcel.

A telemedicina foi liberada no Brasil somente para o período de restrições da pandemia do novo coronavírus, mas a expectativa é que a atividade seja regulamentada posteriormente, a depender de autorização do Conselho Federal de Medicina.


Com isso, a Afya já se antecipa a um movimento que vem ganhando força no mercado brasileiro.


Fonte: Exame

1 visualização0 comentário